Into the Wild [Sem Spoilers]

Manolos, esse fim de semana eu chamei a Aninha para assistir um dos filmes mais importantes para mim, o lindíssimo “Into the Wild”. Tive um pouco de medo dela não gostar, mas logo no início do filme ela já estava mergulhada de cabeça e tudo na trama do filme, com direito a choro no final e tudo mais.

into_the_wild_movie_poster_l

Antes de começar a falar do filme tenho que dizer que este filme é o culpado por eu ter achado “Pequena Miss Sunshine” um filme merda por alguns anos. Pense que no auge dos seus 16/17 anos você está em casa e decide assistir um drama pesado e aí você tem duas escolhas, “Into the Wild” e “Pequena Miss Sunshine”. Vale a pena dizer que eu gosto de ver o filme sem nenhuma expectativa ou sinopse em mente, ou seja eu tinha visto apenas o pôster de cada filme. Então nem preciso dizer que no fim desta história eu só tive decepções. Mas chega de falar do passado, vamos direto para o filme!

Primeiro eu tenho que destacar a qualidade estética dele: “o filme é bonito pra caramba”, acho que esse é o termo técnico que melhor define a fotografia presente no longa metragem. O diretor abusa de cenas de plano geral mostrando a belíssimas paisagens do interior americano, sem contar a utilização maestral de luz. Provavelmente é um paralelo com a filosofia de “a beleza da vida” que o personagem tanto aborda ao longo da história. As cenas parecem ser escolhidas a dedo, os personagens são sempre mostrados bem de perto o que aumenta a sensação aproximação do público com cada personagem. O filme ganha um tom intimista muito gostoso com essas cenas!

Agora que eu acho que está claro que eu acho o filme extremamente bonito, posso partir para a trilha sonora que é um show a parte. Composta inteiramente pelo vocalista da banda Pearl Jam, esse ser humano chamado Eddie Vedder que foi iluminado pelo deus do Folk Rock com o único objetivo de trazer mais seguidores para o seu plano de dominação musical. Eu tenho uma “quedinha” por essas musicas hipsters que tocam por aí, na verdade não é bem uma quedinha é algo mais parecido com um penhasco, então logo de cara o estilo já me pegou de jeito. Sem contar que a voz Eddie é uma das vozes mais agradáveis que eu já ouvi na vida!

O roteiro aborda várias questões que para o Jean de 17 anos, e até mesmo para o eu atual, foram de extrema importância para formação de caráter. O modo como o personagem principal enxerga as coisas, as pessoas que ele encontra, como a história dele se constrói, os problemas com a família, tudo isso é muito bem colocado. Sem contar que definitivamente eu quero morar um tempo com hippies!

Muita gente reclama que a grande indústria do cinema é a mesma coisa, que nunca faz coisa nova e todo aquele papo que já estamos cansados de ouvir! Mas uma coisa que é inegável é que filmes como este só são possíveis devido à quantidade monstruosa de dinheiro que circula nesta indústria, na minha opinião grandes filmes “sempre vão existir” e é bom que eles existam se eles são bons filmes ou filmes ruins é outra discussão. Até porque que saco seria se só existem filmes “super cult” ou só existissem filmes “pipocão” em qualquer uma das duas alternativas eu acho que morreria de tédio!

Anúncios

Um comentário sobre “Into the Wild [Sem Spoilers]

  1. Pingback: 5 Filme de Drama no Netflix | Abraço Radioativo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s