Gameplay: The Flame in The Flood

Hoje tem novidade no canal! O nosso primeiro vídeo de  gameplay!

O jogo é The Flame in The Flood, um jogo de sobrevivência muito legal que queríamos jogar há muito tempo, mas deixamos para fazer isso junto com vocês. Da um conferida no vídeo e não esqueça de se inscrever no canal para acompanhar as próximas gameplays.

Tem algum jogo que você gostaria que jogássemos? Comenta ai.

 

Life is Strange e finais que gostaríamos de mudar

Sempre tem aquela série, livro ou jogo que mesmo gostando muito você gostaria que o final fosse diferente. Nesse vídeo falamos um pouco sobre Life is Strange e alguns jogos que achamos que os finais poderiam ser um pouco diferentes.

E pra você, tem algum final de livro, filme, jogo, etc. que você gostaria que fosse diferente? Comenta ai com a gente.

 

Downwell – Game Radioativo

Então rola a Black Friday e um dos jogos indies japoneses mais importantes da história dos video-games fica por R2,17! Pois é, fui obrigado a comprar esta obra de arte pixelada!

 

Primeiro eu preciso dizer que me surpreendeu bastante a quantidade de boas avaliações e prêmios que este jogo ganhou ao redor do mundo e quase ninguém saber sequer da existência dele! Como bom evangelizador dos bons jogos eu me senti na obrigação de mostrar aqui para vocês a maravilha que é DownWell!

Este é mais um daqueles jogos feitos por apenas 3 pessoas e dá para notar isso no momento em que você abre o jogo e nota que este é um jogo que vai direto ao ponto, te divertir até os seus olhos sangrarem e seus dedos caírem! Basicamente Downwelle é dungeon crawler vertical, jogo em que você explora verticalmente um “calabouço”, com mecânicas de jogos de plataforma clássicos. E não há nenhuma história, este é um jogo de mecânica e jogabilidade. O mais puro e simples abra e jogue!

shot4-feb

Neste jogo você é um pequeno personagem em pixel art que está na beira de um poço e resolve pular a fim de explorar o fundo dele e tudo o que você tem para se defender dos perigos que estão neste poço são as suas inseparáveis pistola+botas, que atiram para baixo. E com esse minha descrição basicamente você já sabe tudo o que você precisa do jogo. “Se é só isso, porque esse jogo é tão importante para a história dos video games!?”, você pode me perguntar e a resposta é tão direta quanto o jogo, simplicidade e flow. Tudo no jogo é simples e bem fácil de se entender. Por exemplo há apenas 3 cores no jogo: a cor de fundo, a cor principal e a cor de perigo. O que estiver na cor principal você pode pular em cima e ficar tranquilo, mas tudo que tem a cor de perigo vai te causar dano, a não o que estiver dentro de uma bolha de proteção.

Até na jogabilidade essa regra se aplica, o jogo tem apenas 3 botões: direita, esquerda e pulo/tiro. Se você está no ar o botão de pulo te faz atirar para baixo e se você estiver no chão o mesmo botão te faz pular, simples não? Ah, você só recarrega a munição das botas se você cair no chão ou pular em cima de um inimigo.

shot6-feb

O seu objetivo é cair até o mais que você conseguir, para isso você tem que se livrar dos inimigos no seu caminho, seja pulando em cima deles ou atirando com as suas pistolas+botas, lembrando que se o inimigo tem a cor do perigo você não deve tentar pular em cima dele. O jogo é dividido em fases e no fim de cada fase você pega um power-up, poder que vai te ajudar, mas que some quando você morre, o que torna realmente divertido e desafiador tentar juntar o maior número possível de power-ups! Cada fase tem pelo menos uma sala/caverna de power-up e uma sala de loja, que permite você recuperar sua vida e comprar mais munição/energia para as suas botas, essas salas ficam dentro das bolhas de proteção. E por último você consegue as gemas, que você usa na lojinha, matando inimigos e em salas de power-up.

animated2-feb

Mas é claro que tudo o que eu escrevi pode ser simplificado em pule ou atire na cabeça dos seus inimigos, pegue as gemas, fique mais forte e consiga os power-ups que vão deixar tudo ainda mais caótico e rápido! Sério o ritmo do jogo é muito frenético!

Essa foi a minha análise de Downwell. Se você tem condições de comprá-lo compre, se não puder pegue a conta da Steam de algum amigo, sei lá, apenas jogue e se divirta com esse joguinho tão divertido!

Um beijo de césio nas suas botas e tchau!

Don’t Starve – Game Radioativo

Se tem um tipo de jogo que simplesmente consome o meu tempo são os games survivors. Agora imagina um jogo survivor que parece ter sido dirigido pelo Tim Burton,  pois é este consumidor de horas se chama Don’t Starve.

Gameplay

Sinceramente eu não conheço muito do lore do mundo de Don’t Starve, até porque para conhecer mais da história é necessário sobreviver e prosperar, algo que com certeza eu não consegui fazer ainda.

Sinceramente eu adoro esta forma de construir uma narrativa, você vai conhecendo mais sobre o mundo a partir do quanto você vai explorando do mundo. Aos poucos você vai conhecendo mais sobre as regras do mundo.

A ideia do jogo é sobreviver a maior quantidade de tempo possível e chegar no objetivo, que eu não sei bem o que é, já que eu sempre morro com menos de 80 dias. Este é um dos jogos com as formas mais criativas de morrer que eu conheço, seja por falta de comida, por falta sanidade, por algum fator climático, ou por inimigos. Conforme os dias vão passando vai ficando mais difícil se manter vivo, os suprimentos são escassos e a chance de um desastre simplesmente acabar com todo o seu progresso só aumenta.

maxresdefault

Algum tempo depois foi lançado o Don’t Starve Together, agora você pode se juntar com os amiguinhos para morrer em grupo! Com dias mais curtos e um mundo um pouco mais simplificado e maior, muita coisa ficou mais simples como conseguir comida e recursos, porém estas coisas acabam mais rápido também. Mais bocas para alimentar, porrém mais mãos para trabalhar, mais chances de sobreviver, ou mais pessoas para te levar à morte?

Summer_RoG_poster.png

É claro que a cada DLC lançada, só aumentam as possibilidades criativas de morrer!.

Visual

Traços estilo sketch! Isso é lindo! É tudo muito estilizado e bem marcado, a arte tem uma mescla de fofura e monstruosidade. Adoro essa brincadeira com contraste de estilo.

326828500

Os personagens também são muito icônicos, cada um tem suas próprias características físicas e, é claro, gameplay diferenciado. Tudo no jogo parecer ter sido desenhado com caneta nankin, o que na minha opinião dá um estilo muito lindo ao jogo. As animações são mais simplificadas, mas de forma alguma senti que fossem simplórias.

Trilha Sonora

Não tenho nem o que comentar da trilha sonora, só de começar a tocar a música de abertura automaticamente o jogo começar a rodar no meu computador, tipo mágica.

os sons também são bem icônicos, cada pequeno som que toca quando você toma um dano, causa dano ou coleta algo, é único e inconfundível.

Conclusão

Esse jogo é uma obra de arte, do tipo que só aparece alguns a cada alguns anos. Compre logo este jogo e venha perder sua vida com a gente! Mas com o Don’t Starve Together, que é a versão multiplayer super daora!

Um beijo de césio no seu coraçãozinho e tchau!

Narrativas Imersivas e a febre dos Jogos Dramáticos

De repente todo mundo se importa com o roteiro nos games! Mas o que gerou isso!? Por que todos os jogos que foram mostrados na E3 deste ano, principalmente os para PS4, parecem terem sido escritos pelo mesmo roteirista?

O começo dessa parada toda:

Não é de hoje que os jogos tem roteiros super trabalhados e com tramas dignas de um clássico da literatura. Jogos como Kingdom Hearts, Final Fantasy, Persona, Red Dead Redemption, Metal Gear Solid , Fallout, Skyrim, Bioshock e vários outros, são excelentes exemplos de roteiros absurdamente trabalhados no mundo dos video games. Não é nenhuma coincidência a maior parte dos jogos que eu citei, que são os jogos que mais me marcaram por seu roteiro, serem jogos japoneses. O povo japonês tem uma característica bem pelicular, pelo menos eu considero isso, de conseguirem se adequar muito bem às novas mídias. Foi assim com os mangás, que hoje tem uma produção inacreditável de variados temas e em quantidades absurdas, o mesmo foi com as animações e não poderia ser diferente com os joguinhos eletrônicos, sem contar que por muito tempo após a queda da Atari, o Japão foi o Poço de Lázaro para esta indústria e consequentemente se tornou polo soberano na produção de jogos aqui neste mundinho fechado.

kojima-san-600x335

Hideo Kojima diretor da série Metal Gear Solid, a.k.a Kojima GOD, a.k.a Kojênio

E todo este tempo fazendo jogos em uma velocidade inacreditável foi essencial para fomentar o mercado de Games no mundo e principalmente serviu de fertilizante para a mente de vários jovens do mundo inteiro que mais para frente se tornariam peças chaves na produção de games no futuro.

A grande virada

Ok, Jean. Mas o que aconteceu de tão importante no mundo dos Video games que foi capaz de transformar God War, que é considerada por muitos uma das séries mais icônica do video games,  deste tipo de jogabilidade:

Para este aqui:

Basicamente o que aconteceu foi a Naugth Dog ter lançado isto: *contém spoilers*

Eu sei que não foi uma simples virada de chave e de repente todos os jogos passaram a ter um tema mais intimista, foi um processo gradual e relativamente lento, apenas calhou de The Last of Us ser a gota que faltava para transbordar esta piscina. Não estou tentando desqualificar os jogos que não tenham um roteiro de mais de 1000 páginas, ainda amo minha cópia de Towerfall, mas é um fato de que alguns jogos estão tendendo para uma experiência de gameplay mais cadenciado e menos “aperte quadrado sem parar!”.

Na minha opinião estamos aprendendo uma nova forma de produzir e consumir jogos eletrônicos, aprendendo o que mais chama atenção, como balancear uma boa jogabilidade e uma história bem cadenciada. É só pensar o que foi para o mundo dos video games o lançamento de Shadow of the Colossus, nós nunca tínhamos visto nada parecido com aquela jogabilidade que te deixava livre para derrubar o seu inimigo colossal de forma incrivelmente excitante e sem a necessidade de qualquer “quicktime event”. Na minha opinião The Last of Us fez exatamente a mesma coisa, só que desta vez a revolução veio com a história, mesmo que algumas pessoas digam que muito do aspecto de “jogo” foi deixado para trás para que a história sobressaísse.

A Naughty Dog testou e aperfeiçoou os moldes de The Last of Us por vários anos enquanto produzia a série Uncharted, tanto Uncharted 4 acabou sendo muito mais próximo ao The Last of Us do que dos seus antecessores da saga do Nathan Drake. Vale a pena lembrar que um ano antes do lançamento de The Last of Us, o jogo Journey foi lançado e também foi uma febre gigante, o que basicamente só preparou ainda mais o terreno para o fenômeno que estava por vir.

E toda essa febre de jogos dramáticos pode ser nitidamente vista principalmente nos jogos que foram anunciados na coletiva do Playstation na E3 deste ano. Dê uma olhada em alguns trailers e diga o que acha:

Tem um post especial de E3 com muitos mais trailers, acesse este link e entenda melhor o que eu disse sobre jogos mais focados no roteiro.

Espero que tenham gostado do texto. Eu sei que ficou longuinho, mas foi de coração. =D

Um beijo de césio na testa e tchau!

13879406_1255831474428653_9070407378118947080_n